Ligações rápidas

Horário de Funcionamento:
Segunda, Quinta e Sexta
15:00 / 20:00

Sábados e Domingos
11:00 / 18:00

 

 

Áreas Principais

»

«

 

 

SEBASTIÃO LIMA REGO – MAIS UMA GRANDE FALTA

Sebastião Lima Rego – mais uma grande falta

na Casa da Achada-Centro Mário Dionísio

no nosso país e (porque não dizer) no mundo, que é grande e pequeno, como as coisas que lhe interessavam, diziam.

Formado em direito, habituado a associações e organizações, à intervenção ali onde estava, e também poeta, morreu.

Desde 2012, por proposta sua, manteve na Casa da Achada, uma rubrica que começou em 2012, a que se chamou «histórias da História» – e as minúsculas e maiúsculas na mesma palavra fazem todo o sentido. Efemérides do mês em que se estava, tratadas no tempo de hoje, raramente por historiadores encartados, mas por quem sabia disso (com ou sem diplomas) ou por quem tinha vivido o que aconteceu.

Que é o futuro sem uma certa memória? – voltou a repetir-se por vozes várias nos «10 anos da Casa da Achada», em Setembro 2019, onde ele infelizmente não esteve.

Em 7 anos, raríssimas sessões desta rubrica falharam e nunca por culpa de Sebastião Lima Rego.

Foram mais de 40 sessões. Ver aqui.

Agora, sem ele não se repetirão nem poderão continuar.

Sebastião Lima Rego fez ele próprio uma dúzia sessões – todas sobre as 1ª e 2ª guerras mundiais, de que sabia tanto, associando coisas que quase não nos passam pela cabeça. E a gente que quis aprendeu. Quem não quis perdeu. Há gravações que podem ser editadas.

Isto começou quando, em 2010, Sebastião Lima Rego veio apresentar na Casa da Achada a sua poesia, sessão que foi a primeira de uma rubrica a que chamámos «Itinerários» e que durou até 2015. Nessa sessão ele falou desse tempo em que estava preso em Peniche quando o 25 de Abril aconteceu. Ver aqui.

Ao centro destes «Itinerários», a vida de pessoas que começaram por uma ponta e descobriram outra, desfazendo pela vida que viveram ,as «caixinhas» de que o saber de hoje se faz.

Por isso, e muitas outras coisas, obrigada, Sebastião (já não podes ouvir) e até sempre.

Casa da Achada- Centro Mário Dionísio

Deixe um comentário

 

voltar às notícias

André Spencer e F. Pedro Oliveira para Casa da Achada - Centro Mário Dionísio | 2009-2017