Ligações rápidas

Horário de Funcionamento:
Segunda, Quinta e Sexta
15:00 / 20:00

Sábados e Domingos
11:00 / 18:00

 

 

Áreas Principais

Arquivo para a categoria ‘Leitura Furiosa’

 

Leitura Furiosa no Público

7 de Junho de 2010

Foi publicada uma reportagem, no suplemento P2 do Público, sobre a Leitura Furiosa, que aconteceu nos dias 29, 30 e 31 de Maio na Casa da Achada – Centro Mário Dionísio. Podem ler aqui a reportagem «Às vezes fazemos as pazes com a leitura».

 

Leitura Furiosa Lisboa 2010 – os textos e ilustrações

3 de Junho de 2010

«Conversas no Intendente» de Armando Silva Carvalho com Zé Viegas, Luís, Carlos e Lilian do Centro de Apoio Social dos Anjos (C.A.S.A.), ilustração por Nuno Saraiva.

«… e deixa-me ouvir» de Jaime Rocha com David, Carlos Silva, Ermelinda, Emília e Lurdes do Centro de Dia de Nossa Senhora do Socorro, ilustração por Nadine Rodrigues.

«Força, Portugal» de Jacinto Lucas Pires com Barros, Mafalda e João do Centro Social Polivalente de São Cristóvão e São Lourenço, ilustração por Zé d’Almeida.

«A terra conversa connosco» de Miguel Castro Caldas com Anastasia, Diaby, Jean, Omid, Sahar, Udesh e Wajidali do Centro de Acolhimento do Conselho Português para os Refugiados (CAR-CPR), ilustração por Bárbara Assis Pacheco.

«Zangados… a gente?!» de Filomena Marona Beja com David, Francisco, Mamadu, Fabien, Daniela, Carolina e Duarte da Escola nº 10 do Castelo, ilustração por Pierre Pratt.

«Flores e raízes num castelo» de Raul Malaquias Marques com Vital, Grupreet, Iara, Eduardo, Rafael e Daniel da Escola nº 10 do Castelo, ilustração por Bárbara Assis Pacheco.

«Um balão vermelho, sem fita-cola» de José Mário Silva com Diogo, Isabel, Érica, Mário, Daniela e Willian da Escola nº 75 da Madalena, ilustração por Pierre Pratt.

«Seis memórias do antes e depois» de Mário de Carvalho com João, Inês, Bruno, Tiago e Diana da Escola Secundária Gil Vicente, ilustração por José Smith Vargas.

 

Leitura Furiosa: 3º dia

31 de Maio de 2010

Ontem foram apresentados os vários textos da Leitura Furiosa. Compareceram os grupos de «zangados com a leitura», os escritores e os ilustradores envolvidos, para além de muitas outras pessoas que quiseram conhecer os textos escritos em quatro cantos do mundo.

LF ÇF

LF LF

Os actores Antonino Solmer, Bruno Bravo, Diogo Dória, Fernanda Neves, Inês Nogueira e Sandra Faleiro leram textos produzidos em Lisboa, Porto, Amiens e Kinshasa. Pedro e Diana musicaram quatro textos. Os alunos da escola do Castelo cantaram uma música no fim da sessão.

A brochura que compila os textos e as ilustrações da Leitura Furiosa das quatro cidades foi distribuída pelos participantes e está agora à venda na Casa da Achada.

LF LF

LF LF

O escritor José Mário Silva, que acompanhou o grupo da Escola da Madalena, foi relatando a sua participação na Leitura Furiosa no seu blogue, o Bibliotecário de Babel. Podem ver como foi o 1º e o 2º dia da Leitura Furiosa em Lisboa aqui. Ainda podem ler a reportagem da Lusa.

LF LF

LF LF

 

Leitura Furiosa: 1º e 2º dia

29 de Maio de 2010

LF

Começou ontem a Leitura Furiosa. Os escritores encontraram-se com os grupos de «zangados com a leitura». Armando Silva Carvalho encontrou-se com pessoas do Centro de Apoio Social dos Anjos; Jaime Rocha com utentes do Centro de Dia de Nossa Senhora do Socorro; Jacinto Lucas Pires com utentes do Centro Social Polivalente de São Cristóvão e São Lourenço; Miguel Castro Caldas com pessoas do Centro de Acolhimento para Refugiados; Filomena Marona Beja e Raul Malaquias Marques com crianças da Escola Nº 10 do Castelo; José Mário Silva com crianças da Escola Nº 75 da Madalena; e Mário de Carvalho com jovens da Escola Secundária Gil Vicente.

LF LF

LF LF

LF LF

LF LF

LF LF

Hoje de manhã os grupos reencontraram-se, já com os textos escritos, na Casa da Achada – Centro Mário Dionísio. Conversaram e discutiram os textos e ao mesmo tempo vários ilustradores desenharam ou moldaram imagens sobre cada texto. Houve ainda um almoço com todas as pessoas e depois os vários grupos foram visitar algumas livrarias.

Amanhã, dia 30 de Maio, às 15:00h, na Casa da Achada, são tornados públicos os textos numa sessão de leitura feita por actores e não-actores, alguns deles musicados e cantados, e publicados numa brochura.

 

Leitura Furiosa

24 de Maio de 2010

Leitura Furiosa - Cartaz

Cartaz 30 de Maio

A Leitura Furiosa é um acontecimento anual que dura três dias. Um momento privilegiado de encontro dos zangados com a leitura, a escrita e o mundo com os escritores. O momento único que permite a um não-leitor aproximar-se, com um escritor, da magia da escrita. Cada um faz ouvir a sua voz e segue um outro caminho.

Quem imaginou, há quase 20 anos, a Leitura Furiosa foi a associação Cardan, duma cidade do norte da França, Amiens, que trabalha para tornar o saber acessível àqueles que dele são excluídos, para quem o saber e a cultura devem nascer de uma ligação com o conjunto da sociedade, para quem a cultura pode e deve ser analisada por aqueles que não a praticam. Por aí passa a integração, a inserção.

Em 2000, a Leitura Furiosa chegou a Lisboa. Até 2004 foi a Abril em Maio, uma associação cultural, que a organizou. Em 2008 começou a acontecer no Porto, em Serralves. Em 2009, a Casa da Achada – Centro Mário Dionísio repegou na ideia, em Lisboa. Em 2010 continua, com mais grupos, mais escritores, mais desenhadores, mais actores e cantores.

A Leitura Furiosa destina-se aos que, sabendo ler, estão zangados com a leitura – crianças e adultos, homens e mulheres, empregados e desempregados, nacionais e estrangeiros.

Vários pequenos grupos de gente zangada com a leitura convivem durante um dia com um escritor, como entenderem fazê-lo. À noite, o escritor escreve um pequeno texto que oferecerá ao grupo quando, no dia seguinte, voltar a encontrar-se com ele. Passarão todos por uma livraria, por uma biblioteca. Os textos são ilustrados, paginados e os que vêm de França e Kinshasa traduzidos. No Domingo, terceiro dia do encontro, são tornados públicos numa sessão de leitura feita por actores e não-actores, alguns deles musicados e cantados, e publicados numa brochura. Posteriormente são editados em livro.

 

Leitura Furiosa 2010

6 de Maio de 2010

Leitura Furiosa 10

ESCRITORES ESCREVEM

COM E PARA

GENTE ZANGADA COM A LEITURA

Armando Silva Carvalho, Filomena Marona Beja, Jacinto Lucas Pires, Jaime Rocha, José Mário Silva, Mário de Carvalho, Miguel Castro Caldas e Raul Malaquias Marques vão escrever oito pequenos textos a partir de um dia de convívio com oito grupos de pessoas «zangadas» com a leitura, de todas as idades: uns são frequentadores do Centro de Dia do Socorro, do Centro Polivalente de S. Cristóvão e S. Lourenço, do Centro de Apoio Social dos Anjos, outros do Conselho Português para os Refugiados, outros ainda da Escola nº10 do Castelo, da Escola Gil Vicente, da Escola nº 75 da Rua da Madalena.

Trata-se de uma iniciativa intitulada Leitura Furiosa, que decorre nos dias 28, 29 e 30 de Maio próximos.

É a sétima vez que acontece em Lisboa, este ano, como em 2009, organizada pela Casa da Achada – Centro Mário Dionísio.

Decorrerá simultaneamente no Porto (Serralves), em Kinshasa e em Amiens, cidade francesa ao norte de Paris, e é organizada pela associação Cardan de Amiens.

A Leitura Furiosa é uma realização imaginada por esta associação francesa, que há largos anos trabalha no combate à iliteracia, e tem lugar anualmente há perto de 20 anos em Amiens, destinando-se àqueles que estão «zangados» com a leitura. Nasceu como alternativa ao «Furor de Ler» de Jack Lang que, segundo o Cardan, não tinha em conta os que não liam, não por não quererem, mas por não saberem ou não poderem.

No dia 30 de Maio, domingo, pelas 15 horas, os textos escritos por Armando Silva Carvalho, Filomena Marona Beja, Jacinto Lucas Pires, Jaime Rocha, José Mário Silva, Mário de Carvalho, Miguel Castro Caldas e Raul Malaquias Marques e ilustrados por Bábara Assis Pacheco, José Smith Vargas, Nadine Rodrigues, Nuno Saraiva, Pierre Pratt, Zé d’Almeida, assim como os textos escritos no Porto na mesma altura, assim como os textos franceses (escritos em Amiens e em Kinshasa) traduzidos para português, serão distribuídos aos participantes e ao público, e lidos por um conjunto de actores (Antonino Solmer, Bruno Bravo, Diogo Dória, Fernanda Neves, Inês Nogueira, Sandra Faleiro), na presença dos escritores, dos grupos que contribuíram para a elaboração dos textos e de quem queira aparecer na Casa da Achada – Centro Mário Dionísio (Rua da Achada, 11, em Lisboa).

Pedro e Diana musicarão alguns dos textos que serão, além de lidos, cantados, nesta sessão de entrada livre.

André Spencer e F. Pedro Oliveira para Casa da Achada - Centro Mário Dionísio | 2009-2020