Ligações rápidas

Horário de Funcionamento:
Segunda, Quinta e Sexta
15:00 / 20:00

Sábados e Domingos
11:00 / 18:00

 

 

Áreas Principais

»

«

 

 

A Casa da Achada fez 11 anos!

Já não cabemos nos dedos das mãos! São 11 anos de porta aberta e já uma dúzia desde que a associação foi criada.  São 11 anos a ler, arquivar, ouvir, ver filmes, cantar, fazer teatro, fotocopiar, debater, expor, editar, intervir, abrir horizontes, escrever, traduzir, descobrir, inventar, perguntar…

Este ano festejámos o aniversário no fim-de-semana de 26 e 27 de Setembro, apesar das estranhas circunstâncias em que nos encontramos…

Inaugurámos uma nova exposição chamada AS PASSADAS PROLONGADAS NOUTROS PASSOS, cujo fio condutor é o diálogo entre alguns pintores convidados e poemas de Mário Dionísio em torno da temática da resistência, tendo estes últimos servido de ponto de partida para os quadros expostos, todos eles originais.

Além de professor e crítico, Mário Dionísio foi escritor, pintor e resistente. Quer datem de anos anteriores ou posteriores à revolução de Abril, os  textos que escreveu e as telas que pintou espelham, amplificando-as, as suas preocupações políticas e o seu desejo de participar no parto dum mundo menos infame, mas também as terríveis decepções de alguém que se recusa a asfixiar a esperança. Textos e telas são não menos rasto duma conversa ininterrupta com a literatura e a pintura.

Viajar na poesia de Mário Dionísio através do olhar de Adão Contreiras, Alberto Péssimo, Bárbara Assis Pacheco, Carlos Mendonça, Frederico Mira George, Gonçalo Pena, Isabel Amaral, João Alves, José Smith Vargas, Margarida Alfacinha, Miguel Carneiro e Sofia Areal foi a nossa afoita proposta.

No sábado 26 de Setembro, às 17h, depois da inauguração da exposição, tivemos uma maratona de 3 leituras do conto «Assobiando à vontade» de Mário Dionísio. Com a voz de Inês Nogueira e o som de Artur Pispalhas.

Às 19h, o Grupo de Teatro Comunitário da Achada e alguns outros participantes especiais decidiram ocupar o Largo da Achada e mandar mensagens das janelas… ora lançadas aos gritos, ora lançadas em faixas.

A festa continuou no domingo, 27 de Setembro, com uma leitura a várias vozes d’O DRAMA DE VICENTE VAN GOGH de Mário Dionísio…

Ao fim da tarde, acabámos os festejos com o inevitável: o espectáculo do coro, distanciado mas feliz, no Largo da Achada.

Deixe um comentário

 

voltar às notícias

André Spencer e F. Pedro Oliveira para Casa da Achada - Centro Mário Dionísio | 2009-2020