Ligações rápidas

Horário de Funcionamento:
Segunda, Quinta e Sexta
15:00 / 20:00

Sábados e Domingos
11:00 / 18:00

 

 

Áreas Principais

»

«

 

 

15 a 19 de Novembro: «Direis que não é poesia» com Nuno Moura e João Manso; oficina da música às palavras; leitura de «Lições do passado» de Schmidt; cinema com ‘Assassinos’; exposição de fotografia «Encontro com uma cidade quase esquecida»; UNIPOP na Achada

DIREIS QUE NÃO É POESIA
um improviso à volta de Mário Dionísio
Sexta-feira, 16 de Novembro, 18h

Neste improviso à volta de Mário Dionísio vamos contar com as leituras de Nuno Moura acompanhadas pelo baixo de João Manso.

«Direis que não é poesia» é uma rubrica de espectáculos que já teve seis sessões na Casa da Achada. Desafiámos e desafiaremos pessoas e grupos de pessoas para não fazerem, a partir da poesia de Mário Dionísio, simples recitais mas sim criarem novos objectos: música, dança, vídeo, leituras encenadas, pintura…

O meu galope é em frente

Direis que não é poesia
e a mim que importa?

Eu canto porque a voz nasce e tem de libertar-se.
E grito porque respondo
às lanças que me espetam
e aos braços que me chamam
E porque, dia e noite, minhas mãos e meus olhos,
por estranhas telegrafias,
dos cantos mais ignotos
e das ilhas perdidas
e dos campos esquecidos
e dos lagos remotos,
e dos montes,
recebem longas mensagens e comunicações:
para que grite e cante.

O meu grito e meu canto é a voz de milhões.

Por isso que me importa?
Eu canto e cantarei o que tiver a cantar
e grito e gritarei o que tiver a gritar
e falo e falarei o que tiver a falar.

Direis que não é poesia.
E a mim que importa
se eu estou aqui apenas para escancarar a porta
e derrubar os muros?
E a mim que importa
se vós sois afinal o que hei-de ultrapassar
e esmigalhar
em nome
de todos os futuros?

Eu sigo e seguirei.
como um doido ou um anjo,
obstinado e heróico a caminho de nós
em palavras e acções
Por todos os vendavais
e temporais
e multidões
nos cantos mais ignotos
e nas ilhas perdidas
e nos campos esquecidos
e nos lagos remotos
e nos montes
– por terra, mar e ar.

Direis que não é poesia
e a mim que importa!
Convosco ou não, meu galope é em frente.
Pertenço a outra raça, a outro mundo, a outra gente.

É andar, é andar!

Mário Dionísio, 1943

OFICINA DA MÚSICA ÀS PALAVRAS
Domingo, 18 de Novembro, das 15h30 às 17h30

Nos domingos deste mês, com Cristina Mora, acontece a 2ª parte desta oficina, em que a partir da música chegamos às palavras.

Trata-se de estimular a percepção auditiva e a prática musical. Os instrumentos preferenciais de trabalho são a voz e as palavras (palavras isoladas, sequências de palavras, pequenos textos) e trabalhar o ritmo, a melodia a harmonia, o timbre, a textura…

A oficina é aberta a todos, quer tenham participado na 1ª parte ou não. A partir dos 6 anos.

CICLO A PALETA E O MUNDO III
Segunda-feira, 19 de Novembro, 18h30

Na 3ª parte do ciclo «A Paleta e o Mundo» lemos obras que foram citadas ou que estão relacionadas com A Paleta e o Mundo de Mário Dionísio.

Nesta sessão continuamos a leitura comentada, com projecção de imagens, de Lições do passado de Georg Schmidt, que foi director do Museu de Belas-Artes da Basileia.

«O texto de Georg Schmidt liga este volume ao primeiro da nossa Histoire de la Peinture Moderne, de Baudelaire à Bonnard, de Maurice Raynal. Para o leitor que não tenha seguido os desenvolvimentos que apresentávamos nessa última obra, ele constitui uma introdução indispensável ao estudo que dedicaremos mais especificamente ao Fauvismo e ao Expressionismo, visto que toda a história da pintura do século XIX se encontra aí resumida numa síntese sugestiva, com as suas correntes principais, as suas tendências, as suas escolas e as personalidades excepcionais que o marcaram, desde Ingres a Bonnard, passando por Delacroix, Courbet, Manet, Monet, Cézanne, Gauguin, Van Gogh e Toulouse-Lautrec.
É só nessa perspectiva que surge o verdadeiro significado dos dois movimentos, o Fauvismo e o Expressionismo, sobre os quais nos debruçamos aqui.»
Texto introdutório de Histoire de la peinture moderne: Matisse, Munch, Rouault, fauvisme et expressionnisme, editado pela Skira em 1950.

CICLO LITERATURA E CINEMA
Segunda-feira, 19 de Novembro, 21h30

Nesta sessão projectamos Assassinos (1946, 103 min.) de Robert Siodmak, a partir da obra de Ernest Hemingway.
Quem apresenta é João Pedro Bénard.

O cinema é (ou já foi) mais popular que a literatura. O facto é que muito cinema se foi fazendo com a literatura, a partir dela. São muitos e muitos os livros transformados em cinema. Uns terão sido desfeitos pelo cinema, outros refeitos. Há quem ache que o cinema pode levar à literatura (e pôr mais gente a ler) e quem ache que é o cinema que a mata.
Este ciclo é uma selecção de filmes feitos a partir de obras literárias, umas mais famosas do que outras, e de várias épocas.  Tentamos assim fazer pensar sobre estas duas linguagens e a sua relação.
Mário Dionísio, que muito pensou e escreveu sobre a literatura e o cinema, entendeu que a linguagem da literatura é uma e a do cinema é outra. E é isso que enriquece o mundo e nos enriquece. Só assim se pode continuar a ler romances e a ver filmes com gosto. Mesmo quando o «assunto» é o mesmo.

e nesta semana também recebemos duas actividades organizadas por duas associações:

 

EXPOSIÇÃO «ENCONTRO COM UMA CIDADE QUASE ESQUECIDA»
12 de Novembro a 15 de Dezembro

O terraço da Casa da Achada recebe esta exposição de fotografia documental, organizada pelo MEF – Movimento de Expressão Fotográfica, com fotografias do bairro da Mouraria. Participam os fotógrafos Luís Rocha, Anna de Amorim, Tânia Araújo, Bitina Santos, João Carlos Neves, Nuno Morais e Rute Martins.

Pode-se considerar fotografia documental a que constitui uma relação com a realidade, a que documenta as condições e o meio em que se desenvolve o homem, tanto de uma forma individual como social.
Através da realização de um workshop de fotografia documental, o Movimento de Expressão Fotográfica lançou o desafio para uma interpretação de um bairro de Lisboa, o Bairro da Mouraria foi o eleito. Este desafio surge com a intenção de construir uma equipa de fotógrafos para realizarem um documentário fotográfico sobre o bairro e constituírem a apresentação final do trabalho, realizada em local público, devolvendo desta forma as imagens à população que foi registada.
A exploração fotográfica em que consiste «Encontro Com Uma Cidade Quase Esquecida» aponta directamente para um documentário sócio-cultural ilustrando o modo de vida da população local.

A exposição está integrada 12ª Bienal de Vila Franca de Xira.

 

UNIPOP NA ACHADA
Sábado, 17 de Novembro, a partir das 15h

Durante a tarde e a noite deste sábado recebemos várias sessões organizadas pela UNIPOP.

Programa:
15h-16h45: Conversa sobre Memória e Historiografia, em torno do livro O passado, modos de usar, de Enzo Traverso (edições Unipop, 2012)
Com Sérgio Campos Matos, Ângela Cardoso, Mariana Pinto dos Santos e moderação de José Neves

16h45: Apresentação do novo website da Unipop

17h-18h45: Conversa sobre Globalização, Migrações e Estado-nação, em torno dos livros Direito de fuga, de Sandro Mezzadra (edições Unipop, 2012), e Quem canta o Estado-nação?, de Judith Butler e Gayatri Spivak (edições Unipop, 2012)
Com Nuno Dias, Manuela Ribeiro Sanches, Nuno Nabais e moderação de Bruno Peixe Dias

21h30: Debate sobre «Futuro», pela ocasião do lançamento do n.º 2 da revista Imprópria (Unipop + Tinta-da-China)
Com Golgona Anghel, António Guerreiro, Nuno Ramos de Almeida, José Bragança de Miranda, Tiago Carvalho, José Luís Garcia e moderação de Miguel Cardoso

Ver aqui mais informações.

19 comentários a “15 a 19 de Novembro: «Direis que não é poesia» com Nuno Moura e João Manso; oficina da música às palavras; leitura de «Lições do passado» de Schmidt; cinema com ‘Assassinos’; exposição de fotografia «Encontro com uma cidade quase esquecida»; UNIPOP na Achada”

  1. alay4d diz:

    Wow Thanks for this page i find it hard to come across excellent facts out there when it comes to this subject matter appreciate for the article site

  2. alay4d diz:

    Wow Thanks for this guide i find it hard to identify awesome information and facts out there when it comes to this subject material appreciate for the write-up site

  3. TyronePhemy diz:

    Dell серверное оборудование Высокопроизводительное серверное оборудование от Dell.

  4. Harlangus diz:

    A gazebo with a breakdown on the lawn. If there mexicocities.net is a decorative lawn on the site, it can be installed on a gazebo with a floor so as not to harm the grass. The platform is made in the form of a metal profile, which is attached to several holes drilled in the soil.

  5. JackieWer diz:

    Reducing the cost of attracting job-career.com new customers. You can inexpensively retain existing customers through quality customer service. It’s much cheaper than constantly recruiting new people.

  6. JosephSkalp diz:

    The purpose of MRF hydraulic motors is to 365wyoming.com convert the energy that comes from the fluid flow into mechanical energy that rotates the output shaft. The scope of application of high-torque hydraulic motors MRF is extremely wide. They are used as part of injection molding machines; they are used to operate presses that process plastic. Hydraulic motors are used in woodworking and forging equipment, road equipment, and drilling rigs.

  7. EmanuelTaumb diz:

    Increasing competitiveness. If customer service usamars.com is thoughtful, then your company will stand out among competitors. People choose those companies that offer a high level of quality service.

  8. Ronnieken diz:

    Meal options range from a hollanderhomes.com choice of hotels without services provided to full board.

  9. JamesMal diz:

    It is necessary to follow some thespice.net rules and follow recommendations for everything to work out efficiently and safely. You can order the production of metal structures on the website to profitably invest your own money. Let’s consider the basic rules that relate to this process.

  10. Victormaync diz:

    In such a situation, it autonow.net is necessary to dismantle the tiles in the place where the gazebo will stand. Then, as in the previous case, the soil surface is drilled and a profile is installed on which all structures are supported.

  11. Scottpieta diz:

    Creation of a metal structure yourfloridafamily.com project. It is necessary to ensure that each drawing and basic calculations are correct. Loads, operating conditions of the product, as well as basic safety standards are taken into account.

  12. Michaellef diz:

    форум вебкам моделей и моделей OnlyFans! Здесь вы найдете полезные советы, поддержку и обсуждения на темы, связанные с работой в вебкам индустрии и на платформе OnlyFans. Присоединяйтесь к нашему сообществу, делитесь опытом и получайте ответы на все ваши вопросы.
    https://forum.vipcamclub.ru/

Deixe um comentário

 

voltar às notícias

André Spencer e F. Pedro Oliveira para Casa da Achada - Centro Mário Dionísio | 2009-2020