Ligações rápidas

Horário de Funcionamento:
Segunda, Quinta e Sexta
15:00 / 20:00

Sábados e Domingos
11:00 / 18:00

 

 

Áreas Principais

»

«

 

 

CICLO DE CINEMA – TRIBUNAIS

Ciclo tribunais

Os tribunais aparecem-nos hoje como a «solução» para o que a política é incapaz de resolver. Transformaram-se (para quem não tem poder) numa «sede de esperança»: os OGEs (e não só) vão parar ao tribunal (constitucional); os «corruptos» importantes são às vezes julgados; é nos tribunais que os sindicatos passaram a tratar de despedimentos, carreiras, encerramentos de empresas; abundam as «providências cautelares». E as mesmas «queixas» têm resultados diferentes conforme o tribunal que as «atende».

Que a injustiça continua a imperar por esse mundo fora é uma evidência. Sobre isso toda a gente está de acordo. Justiça económica, social, política, doméstica, «privada»…
Mas há quem acredite que ela pode ser combatida em «sede própria» – os tribunais. Regidos por leis, comportamentos, relações dos regimes que os criam e onde a injustiça vive. Castigando ou ilibando. Prendendo, multando, indemnizando…
São muitos os que, por vontade própria ou alheia, pagando ou sem pagar, têm passado por tribunais e também muitos os que trabalham neles ou para eles – «profissionais da justiça» se chamam.
É natural que esses tribunais – os seus ambientes, a sua encenação, os seus dramas – sejam um tema recorrente do cinema, sobretudo do ocidental. E que os muitos filmes onde eles aparecem falem mais de injustiça do que de justiça. Com excepções.
Os 13 filmes deste ciclo tentam variar épocas, países, situações, maneiras de filmar. Muitos outros caberiam nele, nomeadamente dois que já passámos noutros ciclos: Julgamento em Nuremberga e Liberdade para José Diogo.
E se falássemos a sério depois de cada filme? Sobre cinema e o resto.

Segunda-feira, 6 de Outubro, 21h30
O juiz Roy Bean
(1972, 120 min.)
de John Huston
apresentação por João Rodrigues

Segunda-feira, 13 de Outubro, 21h30
O processo de Joana d’Arc (1962, 65 min.)
de Robert Bresson
apresentação por António Rodrigues

Segunda-feira, 20 de Outubro, 21h30
Anatomia de um crime (1960, 160 min.)
de Otto Preminger
apresentação por João Pedro Bénard

Segunda-feira, 27 de Outubro, 21h30
O processo (1962, 118 min.)
de Orson Welles
apresentação por Gabriel Bonito

Segunda-feira, 3 de Novembro, 21h30
O caso Paradine
(1947, 112 min.)
de Alfred Hitchcock

Segunda-feira, 10 de Novembro, 21h30
Caso de vida ou de morte (1946, 104 min.)
de Michel Powell

Segunda-feira, 17 de Novembro, 21h30
Doze homens em fúria (1957, 96 min.)
de Sidney Lumet

Segunda-feira, 24 de Novembro, 21h30
Close-up (1990, 98 min.)
de Abbas Kiarostami

Segunda-feira, 1 de Dezembro, 21h30
Testemunha de acusação
(1957, 118 min.)
de Billy Wilder

Segunda-feira, 8 de Dezembro, 21h30
Sacco e Vanzetti (1971, 120 min.)
de Giuliano Montaldo

Segunda-feira, 15 de Dezembro, 21h30
O sol nasce para todos (1953, 90 min.)
de John Ford

Segunda-feira, 22 de Dezembro, 21h30
1871 (1990, 100 min.)
de Ken McMullen

Segunda-feira, 29 de Dezembro, 21h30
La poison (1951, 85 min.)
de Sacha Guiltry

Deixe um comentário

 

voltar às notícias

André Spencer e F. Pedro Oliveira para Casa da Achada - Centro Mário Dionísio | 2009-2017