Ligações rápidas

Horário de Funcionamento:
Segunda, Quinta e Sexta
15:00 / 20:00

Sábados e Domingos
11:00 / 18:00

 

 

Áreas Principais

«Obceco-me de ti», lido por Toni

7 de Abril de 2020

Hoje publicamos «Obceco-me de ti», lido por Toni.

O desafio está lançado. Em tempos de reclusão obrigatória, a proposta é escolher um poema de Mário Dionísio e fazer um vídeo. Depois, é só enviar-nos por email para centromariodionisio@gmail.com ou casadaachada@centromariodionisio.org

Aqui podem ver outras leituras de outros poemas: «Que tu es fort», «Cidade» (parte 2), «Uma mulher quase nova», «A palavra que falta», «Silenciosa música do cosmos», «Elegia ao companheiro morto», «Pode-se pintar com óleo», «Quando as palavras abrem canais de transparência», «Como uma pedra no silêncio», «Móvel move-se o imóvel», «Acaso interessa», «Branco de Neve», «Para ser lido mais tarde».

«Para ser lido mais tarde», lido por Liziane Mangili

6 de Abril de 2020

Hoje publicamos uma leitura que nos chega do Atlântico, do Brasil! Liziane Mangili lê o poema «Para ser lido mais tarde».

O desafio está lançado. Em tempos de reclusão obrigatória, a proposta é escolher um poema de Mário Dionísio e fazer um vídeo. Depois, é só enviar-nos por email para centromariodionisio@gmail.com ou casadaachada@centromariodionisio.org

Aqui podem ver outras leituras de outros poemas: «Que tu es fort», «Cidade» (parte 2), «Uma mulher quase nova», «A palavra que falta», «Silenciosa música do cosmos», «Elegia ao companheiro morto», «Pode-se pintar com óleo», «Quando as palavras abrem canais de transparência», «Como uma pedra no silêncio», «Móvel move-se o imóvel», «Acaso interessa», «Branco de Neve».

«Branco de neve», lido por Jacinto Lucas Pires

5 de Abril de 2020

Hoje publicamos a leitura de Jacinto Lucas Pires do poema «Branco de neve».

O desafio está lançado. Em tempos de reclusão obrigatória, a proposta é escolher um poema de Mário Dionísio e fazer um vídeo. Depois, é só enviar-nos por email para centromariodionisio@gmail.com ou casadaachada@centromariodionisio.org

Aqui podem ver outras leituras de outros poemas: «Que tu es fort», «Cidade» (parte 2), «Uma mulher quase nova», «A palavra que falta», «Silenciosa música do cosmos», «Elegia ao companheiro morto», «Pode-se pintar com óleo», «Quando as palavras abrem canais de transparência», «Como uma pedra no silêncio», «Móvel move-se o imóvel», «Acaso interessa».

«Acaso interessa», lido por Madalena Ávila

4 de Abril de 2020

Hoje publicamos a leitura de Madalena Ávila do poema «Acaso interessa».

O desafio está lançado. Em tempos de reclusão obrigatória, a proposta é escolher um poema de Mário Dionísio e fazer um vídeo. Depois, é só enviar-nos por email para centromariodionisio@gmail.com ou casadaachada@centromariodionisio.org

Aqui podem ver outras leituras de outros poemas: «Que tu es fort», «Cidade» (parte 2), «Uma mulher quase nova», «A palavra que falta», «Silenciosa música do cosmos», «Elegia ao companheiro morto», «Pode-se pintar com óleo», «Quando as palavras abrem canais de transparência», «Como uma pedra no silêncio», «Móvel move-se o imóvel».

«Móvel move-se o imóvel», lido por Pedro Soares

3 de Abril de 2020

Hoje publicamos a leitura de Pedro Soares do poema «Móvel move-se o imóvel».

O desafio está lançado. Em tempos de reclusão obrigatória, a proposta é escolher um poema de Mário Dionísio e fazer um vídeo. Depois, é só enviar-nos por email para centromariodionisio@gmail.com ou casadaachada@centromariodionisio.org

Aqui podem ver outras leituras de outros poemas: «Que tu es fort», «Cidade» (parte 2), «Uma mulher quase nova», «A palavra que falta», «Silenciosa música do cosmos», «Elegia ao companheiro morto», «Pode-se pintar com óleo», «Quando as palavras abrem canais de transparência», «Como uma pedra no silêncio».

«Como uma pedra no silêncio», lido por Paula Loura Baptista

2 de Abril de 2020

Hoje publicamos a leitura de Paula Loura Baptista do poema «Como uma pedra no silêncio».

O desafio está lançado. Em tempos de reclusão obrigatória, a proposta é escolher um poema de Mário Dionísio e fazer um vídeo. Depois, é só enviar-nos por email para casadaachada@centromariodionisio.org ou para centromariodionisio@gmail.com

Aqui podem ver outras leituras de outros poemas: «Que tu es fort», «Cidade» (parte 2), «Uma mulher quase nova», «A palavra que falta», «Silenciosa música do cosmos», «Elegia ao companheiro morto», «Pode-se pintar com óleo», «Quando as palavras abrem canais de transparência».

«Quando as palavras abrem canais de transparência», lido por Bertran Romero

1 de Abril de 2020

D’além fronteiras, agora cortadas, chega-nos a leitura de Bertran Romero Sala de «Quando as palavras abrem canais de transparência», que, para além de português, lê também em catalão, numa tradução sua.

O desafio está lançado. Em tempos de reclusão obrigatória, a proposta é escolher um poema de Mário Dionísio e fazer um vídeo. Depois, é só enviar-nos por email para casadaachada@centromariodionisio.org ou para centromariodionisio@gmail.com

Podem ver aqui outras leituras de outros poemas: «Que tu es fort», «Cidade» (parte 2), «Uma mulher quase nova», «A palavra que falta», «Silenciosa música do cosmos», «Elegia ao companheiro morto», «Pode-se pintar com óleo».

«Pode-se pintar com óleo», lido por Clara Agapito

31 de Março de 2020

O desafio está lançado. Em tempos de reclusão obrigatória, a proposta é escolher um poema de Mário Dionísio e fazer um vídeo. Depois, é só enviar-nos por email para casadaachada@centromariodionisio.org .

Hoje publicamos a leitura de Clara Agapito do poema «Pode-se pintar com óleo». E podem ver aqui outras leituras de outros poemas: «Que tu es fort», «Cidade» (parte 2), «Uma mulher quase nova», «A palavra que falta», «Silenciosa música do cosmos», «Elegia ao companheiro morto». Mais se seguirão. Fiquem atentos a esta página.

«Elegia ao companheiro morto», lido por Patrícia Machado

30 de Março de 2020

O desafio está lançado. Em tempos de reclusão obrigatória, a proposta é escolher um poema de Mário Dionísio e fazer um vídeo. Depois, é só enviar-nos por email para casadaachada@centromariodionisio.org .

Hoje publicamos a leitura de Patrícia Machado do poema «Elegia ao companheiro morto». E podem ver aqui outras leituras de outros poemas: «Que tu es fort», «Cidade» (parte 2), «Uma mulher quase nova», «A palavra que falta», «Silenciosa música do cosmos». Mais se seguirão. Fiquem atentos a esta página.

«Silenciosa música do cosmos», lido por Olga Germano

29 de Março de 2020

O desafio está lançado. Em tempos de reclusão obrigatória, a proposta é escolher um poema de Mário Dionísio e fazer um vídeo. Depois, é só enviar-nos por email para casadaachada@centromariodionisio.org .

Hoje publicamos a leitura de Olga Germano do poema «Silenciosa música do cosmos». E podem ver aqui outras leituras de outros poemas: «Que tu es fort», «Cidade» (parte 2), «Uma mulher quase nova», «A palavra que falta». Mais se seguirão. Fiquem atentos a esta página.

«A palavra que falta», lido por Ilda Feteira

28 de Março de 2020

O desafio está lançado. Em tempos de reclusão obrigatória, a proposta é escolher um poema de Mário Dionísio e fazer um vídeo. Depois, é só enviar-nos por email para casadaachada@centromariodionisio.org .

Aqui publicamos a leitura de Ilda Feteira do poema «A palavra que falta». E podem ver aqui outras leituras de outros poemas: «Que tu es fort», «Cidade» (parte 2), «Uma mulher quase nova». Mais se seguirão. Fiquem atentos a esta página.

«Uma mulher quase nova», lido por Carmen Gelpi

27 de Março de 2020

O desafio está lançado. Em tempos de reclusão obrigatória, a proposta é escolher um poema de Mário Dionísio e fazer um vídeo. Depois, é só enviar-nos por email para casadaachada@centromariodionisio.org .

Aqui publicamos a leitura de Carmen Gelpi do poema «Uma mulher quase nova». E podem ver aqui outras leituras de outros poemas: «Que tu es fort», «Cidade» (parte 2). Mais se seguirão. Fiquem atentos a esta página.

«Cidade» (parte 2), lido por Ana Baltazar

26 de Março de 2020

O desafio está lançado. Em tempos de reclusão obrigatória, a proposta é escolher um poema de Mário Dionísio e fazer um vídeo. Depois, é só enviar-nos por email para casadaachada@centromariodionisio.org .

Aqui publicamos a leitura de Ana Baltazar, a segunda parte do poema «Cidade», que tanto nos diz nos dias que hoje vivemos. E podem ver aqui outra leitura de outro poema: «Que tu es fort». Mais se seguirão. Fiquem atentos a esta página.

«Que tu es fort» lido por Rui Teigão

25 de Março de 2020

O desafio está lançado. Em tempos de reclusão obrigatória, a proposta é escolher um poema de Mário Dionísio e fazer um vídeo. Depois, é só enviar-nos por email para casadaachada@centromariodionisio.org .

A primeira contribuição foi esta, enviada pelo Rui Teigão. Mais se seguirão. Fiquem atentos a esta página.

«Ouvido de Tísico»: CANÇÕES POR UM CAMINHO DE PALAVRAS

21 de Março de 2020

No sábado 21 de Março às 15h30, dia em que mais uma sessão de escuta da rubrica «Ouvido de Tísico» prometia dar as boas vindas à Primavera com convívio no quintal da Casa da Achada, publicamos online a sessão – «canções por um caminho de palavras» – para convivermos perto ao longe.

https://archive.org/details/ouvidotisico13

OUVIDO DE TÍSICO Nº 13: CANÇÕES POR UM CAMINHO DE PALAVRAS

As palavras puxam palavras e fazem um caminho de palavras. Cada palavra puxa uma canção e fazem um caminho de canções. Vamos ouvir esse caminho. Podem trazer pedrinhas: de pão, de chocolate, de cenoura, de queijo… a ver se a prima Vera chega e se nos deixa apanhar o sol e a sombra do quintal.

Nas sessões «Ouvido de Tísico» a proposta é escutar. Fácil? Difícil? Num mundo que nos quer entupir os ouvidos, nós queremos continuar a fazer cócegas ao caracol. Ouvir-se-ão textos de vários autores, saladas musicais, documentos desencantados do Centro de Documentação da Casa da Achada, discos do princípio ao fim, entrevistas, enfim, de tudo um pouco. Pode-se ouvir de pé ou sentado, sentado ou deitado. Pode ouvir-se de olhos fechados ou abertos, abertos ou semicerrados. Pode-se desenhar enquanto se ouve, ou escrever, ou não fazer mais do que… ouvir.

Por Diana Dionísio.

«Estes livros por alguma razão»: A OESTE NADA DE NOVO

20 de Março de 2020

Esta sexta-feira 20 de Março, às 18h30, data prevista para uma sessão da rubrica «Estes livros por alguma razão» em que o Toni nos ia falar de A OESTE NADA DE NOVO de Erich Maria Remarque, publicamos aqui uma sessão filmada, que não será a mesma, pois não terá cheiros nem conversa, mas é o que podemos fazer neste momento.

ESTES LIVROS POR ALGUMA RAZÃO
«Queremos livros que nos afectem como um desastre»
Franz Kafka

Toni fala de
A OESTE NADA DE NOVO de Erich-Maria Remarque

A Casa da Achada- Centro Mário Dionísio tem uma nova rubrica dedicada à leitura e ao diálogo sobre livros. Há livros que lemos ao longo da vida e que nos marcaram por alguma razão. Porque não partilhar com outra gente interessada o que se descobriu naquele livro?

Em 2020 a ideia era encontrarmo-nos uma vez por mês na Casa da Achada para uma conversa de cerca de uma hora.

Nesta sessão, feita em vídeo dadas as actuais circunstâncias, Toni fala de A OESTE NADA DE NOVO de Erich-Maria Remarque.

Algumas sessões, apesar do vírus

19 de Março de 2020

Caros amigos, anunciámos que a Casa da Achada – Centro Mário Dionísio estará com as portas fechadas até melhores dias e que as sessões serão adiadas. Mas… nem todas!

Esta sexta-feira 20 de Março, às 18h30, data prevista para uma sessão da rubrica «Estes livros por alguma razão» em que o Toni nos ia falar de A OESTE NADA DE NOVO de Erich Maria Remarque, vamos publicar na nossa página (na secção «Notícias») e no facebook uma sessão filmada, que não será a mesma, pois não terá cheiros nem conversa, mas é o que podemos fazer neste momento.

Também no sábado 21 de Março às 15h30, dia em que mais uma sessão de escuta da rubrica «Ouvido de Tísico» prometia dar as boas vindas à Primavera com convívio no quintal da Casa da Achada, tentaremos publicar online a sessão – «canções por um caminho de palavras» – para convivermos perto ao longe.

tu supunhas-me longe
eu supunha-me longe
longe é o mais perto
quando o hoje é baço

passos pela escada
vozes pela rua
vou com esses passos
vou com essas vozes

aqui é longe
hoje é outrora
vida outra coisa
no andar suspenso
longe é o mais perto longe
é o mais perto

MÁRIO DIONÍSIO, in O riso dissonante, 1950

Informação sobre a suspensão de actividades na Casa da Achada – Centro Mário Dionísio:

13 de Março de 2020

Perante a situação actual e as restrições recomendadas, vamos suspender, adiar ou cancelar várias das actividades da Casa da Achada – Centro Mário Dionísio até início de Abril, altura em que voltaremos a avaliar a situação.

A preocupação com o vírus tem óbvias implicações também no trabalho na Achada, incluindo o trabalho de colaboradores, amigos e voluntários de que a Associação depende. Continuaremos as actividades de edição e arquivo do Centro Mário Dionísio, cujo arquivo continua aberto à consulta e ao estudo. Preparamos neste momento, entre outras coisas, uma nova edição de textos de Mário Dionísio sobre Van Gogh, para lançar brevemente.

Suspendemos as actividades que implicam muito “contacto social” (cinema, oficinas, debates). A direcção, o grupo de actividades e outros grupos da Casa da Achada continuarão a reunir e a preparar actividades futuras. Mas a Casa da Achada não estará aberta no seu habitual horário de abertura.

Iremos informando sócios, amigos e frequentadores da Casa sobre o desenrolar da situação. Actualizaremos a informação no nosso facebook (facebook.com/centromariodionisio) e é sempre possível contactar-nos por email para casadaachada@centromariodionisio.org para a utilização da zona pública, para qualquer actividade ou reunião específica, para utilização da biblioteca, da mediateca, do centro de documentação ou para visitar a casa, combinando um horário possível.

Seguiremos as recomendações da Direcção Geral de Saúde, sem nenhuma espécie de pânico infundado, mas com todos os cuidados de higiene e segurança. Em solidariedade com toda a gente que, por estar em situação de precariedade (laboral, social, de saúde ou de habitação), vai ver agora a sua situação ainda mais complicada. Cultura é também solidariedade, apoio mútuo e luta por condições de vida dignas para toda a gente.

A direcção da Casa da Achada – Centro Mário Dionísio
13 de Março de 2020

Foi Fevereiro na Achada

2 de Março de 2020

Há livros que nos marcam para a vida toda. Na Casa da Achada, onde há uma biblioteca pública recheadinha de livros, inaugurámos há pouco tempo uma rubrica assim chamada: «Estes livros por alguma razão». No dia 22 de Fevereiro, Ariana Furtado – amiga da Casa da Achada há muito tempo – veio apresentar-nos o livro: Cabo-Verde, notas atlânticas de Jean-Yves Loude e explicar como e porquê este livro foi tão importante para ela. Contou-nos que conheceu o escritor mesmo na Casa da Achada e descobriu até que uma das personagens do ensaio era um familiar seu. Foi uma sessão com poucas pessoas mas que deu uma conversa bem animada.

No dia seguinte, 23 de Fevereiro, estivemos a ler e discutir um conto de Italo Calvino, «A aventura de uma banhista» que nos pôs a falar de “vergonhas” e pudores da nossa sociedade ontem e hoje.

No dia 28 houve mais uma sessão do Ouvido de Tísico, sessão à escuta de Memória de um pintor desconhecido (1965), um livro de poesia de Mário Dionísio lido integralmente (!) por Diana Dionísio. Houve quem dissesse que não sabe ler poesia, mas assim… “que maravilha!”

Às segundas, como de costume, andámos a ler A Paleta e o Mundo – ensaio de Mário Dionísio sobre arte e sociedade – ao fim da tarde, às 18h30, com a ajuda de Lena Bragança Gil e José Smith Vargas. E à noite há sempre cinema com apresentação e às vezes debate. O ciclo Mudo continua até final de Março com filmes raros e ruidosamente silenciosos.

Na sequência de um trabalho de pesquisa no arquivo do Centro de Documentação encontramos uma coisa curiosa: uma peça de teatro de Mário Dionísio escrita quando ele estava no sanatório do Caramulo a tratar uma tubercolose. Antonino Solmer veio ajudar-nos a pensar que teatro se pode fazer com um texto assim, uma “brincadeira” supreendentemente cómica e rica, num tom revisteiro. Será que dá para fazermos um teatro?

Atenção: a sessão da nossa rubrica «Estes livros por alguma razão» prevista para dia 8 foi adiada para sábado 22 de Fevereiro de 2020. Sempre às 15h30.

7 de Fevereiro de 2020

 

André Spencer e F. Pedro Oliveira para Casa da Achada - Centro Mário Dionísio | 2009-2020